Tecnologias da Inteligência

domingo, março 19, 2006

Questionamento sobre o Computador na Educação

Questionamentos sobre o computador para o processo de ensino e
aprendizagem

Entender o computador no processo educativo requer algumas análises das quais trataremos neste item. Inicialmente é necessário compreender o termo computador. O computador significa computar, ou seja, contar mediante o uso de linguagem e códigos próprios que representam um resultado esperado. Computador até 1945 era denominado computadora, uma máquina simples capaz de fazer operações aritméticas, isso porque o verbo original em francês significava somar. A máquina computador é constituída de um progresso tecnológico que modificou os paradigmas e o contexto ao qual vivenciamos, simplesmente porque viabiliza a comunicação e o acesso a informação cultural científica e social por diversas formas para diversas pessoas sem escolher ou privilegiar culturas.

O que temos constituindo os computadores são os denominados softwares, ou os chamados aplicativos que tem funções específicas e são incentivadores de idéias, temas, assuntos para construção e execução de conhecimentos.

Além dos aplicativos, o espaço ao qual estão imersos denomina-se virtualidade que é constituída de bites e de conexões em rede como representação da inteligência humana por meio de símbolos e ícones que nos auxiliam nos caminhos de uso do computador.

Além da virtualidade também encontramos o ciberespaço que é o espaço da internet, ou melhor dizendo, a rede de alcance mundial (WORLD WIDE WEB), abreviatura de W.W.W. A web é conhecida como rede por ser um espaço de dados e informações atualizáveis constantemente tendo como princípio a atualização e o movimento de imagens de forma atemporal e sem diferenças culturais.

Paralelamente a esse processo também devemos observar os aspectos preocupantes em relação ao computador no desenvolvimento social, econômico e pessoal dos cidadãos. Portanto a seguir destacamos algumas análises que facilitarão a interpretação e a compreensão do uso do computador em seus vários aspectos.

O uso da tecnologia atualmente deve ser compreendido por vários ângulos dentre eles a questão do acesso. Os dados atuais destacam que somente 3% da população do mundo têm acesso aos recursos do computador, a falta de acesso é muito grande e as causas são inúmeras dentre elas: o escasso poder aquisitivo para consumo, o não interesse de uso e também a falta de preparação em competências e habilidades para usar seus recursos.

Alguns adultos afirmam não querer utilizar o computador por não gostar ou não conseguir pela falta de desenvolvimento de habilidades necessárias ao seu uso. No caso das crianças a exclusão digital está na maioria das vezes na falta de poder aquisitivo para compra do objeto tecnologia. Mas algo acontece de forma diferenciada com as crianças, elas têm a perspicácia de uso das tecnologias independente de possuir ou não o aparelho técnico. Utilizam e programam determinados aparelhos como se tivessem como propriedade pessoal. Essa facilidade de uso e aprendizagem nas crianças nascidas nos últimos dez anos é a representação da mudança que a tecnologia está possibilitando no desenvolvimento do ser humano e do contexto histórico que vivencia.

Existe uma necessidade de uso do computador para as crianças, mas é necessário considerar que elas não podem estar 24 horas do dia conectadas utilizando a internet. Isso pode causar vários problemas dentre eles: o esvaziamento de experiências vivenciadas das crianças se limitando cada vez mais a tela do computador, além disso, a aprendizagem pela experiência física não pode ser substituída pelo excessivo sedentarismo em frente ao computador.

É necessário afirmar que não podemos igualar a capacidade intelectual com o domínio das habilidades técnicas do computador. Na realidade acontece uma potencialização da inteligência, possibilitando ampliar formas de desenvolver a criatividade e a reflexão mediante imagens, textos, busca de informação e formas diferenciadas de construção do que foi pensado e refletido sobre as informações disponibilizadas.

O excesso de imagem visual do computador atrapalha o cérebro para aprender a linguagem oral e reter o que foi dito. Dessa forma a criança deve aprender a raciocinar sobre o material de pesquisa e as formas de trabalho disponibilizadas. A estimulação eletrônica pode aumentar a incidência de dificuldades de aprendizagem como problemas na audição e transtorno de déficit de atenção.

O isolamento social também pode ser um problema identificado, a tendência de algumas crianças é trocar os relacionamentos sociais e de enfrentamento do mundo pela simulação da tecnologia e o lazer que ela proporciona. Esse lazer e as simulações apresentam somente uma versão do real sem ampliar caminhos e muito menos analisar o que está colocado pelo mundo.

Segundo Armstrong e Casement (2001) ao mesmo tempo os computadores capacitam as crianças para realizar projetos de maior complexidade do que normalmente é possível no mundo físico, os programas de computador também não possibilitam o erro construtivo e criam um padrão estético, atrapalhando a criação do aluno.

Além das crianças podemos entender que o computador socialmente tem alguns objetivos e que devem ser apresentados. A racionalidade tecnológica para Pucci, Lastória e Costa (2003) é estrutura e suporte à sociedade atual nos setores da produção, cada vez mais irreversível no cotidiano das pessoas, o objetivo das novas tecnologias educacionais para esses autores é de transmitir informações as mais fluentes possíveis.

As novas formas de controle social estão associadas às tecnologias virtuais na forma de violência simbólica. Essa violência simbólica está submersa a muitos acontecimentos como e-mail(s), fotos, imagens e comentários que invadem a privacidade do cidadão.

Um outro fator importante para ser destacado é a tendência a exaltação pela novidade e não a permanência de uma notícia comprometendo assim a reflexão e criando um esquecimento permanente. Essa marca de impessoalidade nas tecnologias compromete seriamente o diálogo, porque não defende e nem muito menos analisa o que é disponibilizado pela informação, apenas transmite.

Um dos aspectos de maior importância no uso do computador na educação é pensar que existe uma grande diferença entre ensinar os alunos a usar o computador e transmitir informações por ele. O uso do computador é um processo prévio de aprendizado que fornece aos alunos as habilidades necessárias para que ele possa utilizar depois para o seu desenvolvimento educacional no uso da máquina.

Para Virilio (2004) sociedade a tecnologia é vendida pela mídia como panacéia educacional. A educação é vista como algo ultrapassado e que se mantêm no ensino tradicional. A revolução das tecnologias passou-se a ser observada como o que poderia auxiliar a educação em todos os seus aspectos, portanto a tecnologia foi inserida e incentivada na educação, mas sem uma estrutura de capacitação ou formação de base na graduação e na formação continuada de todas as áreas e níveis educativos.

Politicamente a tecnologia tem como referência o excessivo controle que as empresas de multimídia mantêm. Com isso o que se denomina democracia está ameaçada pela técnica porque a internet que é um grande cérebro em que todo mundo está conectado possibilita que possam sempre as pessoas pensar e formular perguntas para terem uma resposta sempre fechada e delimitada ou com um estilo. Esse tipo de estrutura se torna a negação da democracia representativa no benefício do virtual ou automático.

No universo do trabalho a tecnologia se conduz pela invasão de privacidade e a extensão do trabalho pelo denominado teletrabalho, caracterizado pelo isolamento das pessoas com jornadas excessivas de trabalho e o enfraquecimento de reivindicações trabalhistas. O trabalho não termina no seu local físico, mas continua na vida particular do cidadão através do acesso a virtualidade e os mecanismos on-line de trabalho.

Visualizar as estratégias americanas pós-guerra fria, é compreender a ampliação da tecnologia, críticos enfatizam que as estratégias de inserção da tecnologia no mundo para criar um outro espaço de dominação cultural, aconteceram exatamente pelo viés do desenvolvimento tecnológico em um novo formato consumista.

Todos os aspectos aqui abordados nos conduzem a reflexão sobre as causas e as conseqüências do uso da tecnologia no contexto ao qual vivemos, mas contradizendo os aspectos negativos do computador, destacamos os aspectos positivos e que não devem ser desconsiderados, os recursos da tecnologia e em especial o computador podem modificar a cognição, ampliando e possibilitando novos espaços e formatos de construção do conhecimento, o progresso da tecnologia é algo constante e histórico é impossível de renegá-lo ou ignorá-lo. O uso dela na educação deve ser ampliado não somente na questão técnica, mas principalmente nessa nova perspectiva de cognição, que na realidade são os paradigmas emergentes da sociedade da informação e do conhecimento.

O uso do computador potencializa o trabalho educativo, modifica e amplia opções que desenvolvem competências e habilidades necessárias ao universo do trabalho e contexto ao qual vivenciamos.

1 Comentários:

  • Olá Daniela
    Achei muito interessante a sua página. Já fiz o download de sua tese.
    Em breve vou escrever uma postagem no Blog TransCV.blogspot.com sobre PC, Nicolas Negroponte e a TransD.

    Um abraço
    JSB

    Por Blogger Jorge Sousa Brito, Às 6:26 AM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



<$I18N$LinksToThisPost>:

Criar um link

<< Página inicial


 

Dating